A importância do motor motivacional na vida dos expatriados

Eu sempre fui uma pessoa muito reservada em relação a minha vida pessoal, entâo quando decidi criar o blog uma coisa não saía da minha cabeça: como vou criar um blog se não gosto de falar de mim?


Alguns dias depois conversando com o meu marido sobre o instagram e a minha dificuldade em gravar stories, ele me perguntou assim: Porque você decidiu ter uma conta aberta em uma rede social sendo você uma pessoa tão reservada? Pensei, pensei, pensei... e então me lembrei da Patrícia. A Patrícia mudou pra Alemanha tem 6 meses e eu bem sei o quanto essa adaptação inicial é difícil. Em um primeiro momento amamos tudo, a cidade é linda e a gente só lembra que está em um país aonde as coisas funcionam (escutamos isso a vida quase toda). Então, as semanas e meses vão passando, e de repente nos damos conta de que ninguém nos falou sobre as dificuldades que iríamos enfrentar ao deixar nosso país de origem e consequentemente nossa zona de conforto. Ninguém nos falou sobre o quanto o choque cultural poderia nos afetar e nem o quanto a saudade e a distância doeriam em nós (sem falar da culpa que carregamos né?).


Mas voltando a pergunta do meu marido e as razões pelas quais abri meu instagram... A Patrícia me escreveu. Ela leu um dos meus textos e queria me agradecer. Ela disse que meu texto a confortou. Pude então começar a responder meu marido: Eu abri meu instagram, porque se posso agregar algo de positivo na vida das pessoas, agregarei!


Leia também: Tudo é temporário, desapegue-se!


Aí começei a ver além. Todos os dias logo após acordar eu abria o blog naquela expectativa de ter mais inscritos, mais pessoas que se identificam com o blog e com os meus textos. E aquela sensação me trazia imediatamente um sorriso. Fui realizando pouco a pouco tudo o que eu poderia construir por mim mesma, e o quanto o blog estava me fazendo bem.



Sou eu quem mais lucra com o blog. AMO essa troca de experiências e mais ainda ser “reconforto” para algumas pessoas através dos meus textos. Isso enche meu coração de alegria. Além do mais tem me feito muito bem receber de volta um carinho gratuito que nem imaginava existir nas redes sociais. Um carinho sincero e despretensioso. É disso que eu gosto! Criar o blog trouxe de volta a minha vida as famosas "borboletas no estômago". Sou uma pessoa muito mais feliz hoje, e uma das minhas maiores alegrias é justamente quando recebo feedbacks positivos e de agradecimento. Nestes momentos tenho a certeza de que caminho rumo a realização dos meus projetos e dos meus sonhos.


Para além desse retorno que me enche de orgulho, como não mencionar as mensagens de apoio que recebo desde então da minha família e amigos? Eu nem me dava conta do número de pessoas que me apoiariam e apreciariam os meus textos. Foi uma grata surpresa. É um carinho tão sincero que se tornou meu "motor motivacional". Explico: Há alguns meses eu vivi uma situação extremamente desnecessária e desagradável com uma pessoa para quem, até então, eu estava dando o meu melhor (por pura escolha minha, pois não havia obrigação). Fui mesmo pega de surpresa. Normalmente a gente sabe quando tem um relacionamento conflituoso com alguém e aí se previne, mas eu não achava que era o meu caso, Eu confiei. Na minha cabeça (apenas na minha) estava iniciando uma bela história de amizade. Pois bem, já dizia o meu pai que nós "conhecemos a verdadeira essência das pessoas nos momento difíceis". Mais uma vez ele tinha razão! A nossa essência não combinava. Então eu decidi ir atrás das coisas e pessoas com as quais eu me identifico e deixar ir tudo aquilo que não me faz bem.

Então criei o Blog, um projeto meu e que só me traz alegrias. Receber tanto carinho, contar com o incentivo de pessoas inesperadas e ser confrontada com críticas de todos os lados, sejam elas negativas ou positivas, tem me ajudado a superar essas pequenas decepções do dia a dia, e ainda me permitem manter meu melhor sorriso no rosto e o foda-se ativado para tudo e todos não me interessam ou com os quais eu não me identifico. Ou seja, abrir meu instagram foi para mim, libertador! Me libertei de algumas amarras da vida que não me faziam bem. Passei a me dedicar e a me preocupar apenas com pessoas e situações com as quais realmente me importo, as demais, serão apemas obrigações do dia a dia, obrigações das quais não podemos nos livrar, e tudo que é obrigado a gente faz logo pra ficar livre, não é mesmo? Então hoje sou assim, corro com minhas obrigações e faço logo bem feito para me livrar e assim poder me dedicar ao que e dá prazer e me faz bem.


A vida no exterior tem dessas vantagens, parece que a nossa "casca vai ficando mais grossa. As vezes eu me impressiono comigo mesma e a força que posso ter em detrrminados momentos.


Leia também: Dicas para ter acesso ao mercado de trabalho suíço


Ao criar o blog me joguei de corpo e alma nas redes sociais. Tinha plena consicência de que não seria unanimidade, e não imaginava receber tanto carinho de pessoas que sequer me conhecem. OBRIGADA! Sou extremamente grata a cada um de vocês que me acompanha.


A mensagem que eu gostaria de deixar com este texto? Acredite SEMPRE em você e nos seus sonhos. Não de ouvidos a comentários MALDOSOS. SE DEDIQUE aos seus projetos. Seja uma pessoa GENEROSA com aqueles que te rodeiam, e mantenha em mente que viemos ao mundo para SOMAR e não COMPETIR, há espaço para todos nós! Enxergue seus obstáculos como um ponto de partida para a realização dos seus sonhos. Acredite, é possível!


Então terminei minha conversa com o meu marido com a seguinte frase: se está me fazendo bem, que mal tem?


Bjs, Cris!

  • Facebook Diário de uma Expatwoman
  • Instagram Diário de uma ExpatWoman

© 2019 por Diário de uma ExpatWoman. Todos os direitos reservados.