Vivendo a pandemia fora do Brasil.


Oi gente !! Quanto tempo né? Pois é, aqui na Suíça o confinamento começou no dia 28/02/2020, com apenas algumas restrições. No dia 13/03, tendo em vista o aumento significativo do número de casos, o confinamento foi estendido a quase toda a população. Apenas comércios de primeira necessidade permaneceram abertos e seguiram inúmeras normas a fim de evitar a propagação do vírus. Dia 11/05/2020 saímos do confinamento, porém continuamos respeitando as diversas regras impostas pelo governo.

E porque eu não escrevi durante todo este tempo? Dizer que eu não tive tempo não é verdade. Tive tempo. Muito tempo. Não quis escrever, e sabem porquê? Pela primeira vez na vida, desde o meu casamento e nascimento das minhas filhas, tive tempo APENAS para minha família. Quer dizer, tinha trabalho (a distância) todos os dias, mas fato é que, em casa conseguimos nos organizar e sempre sobra um tempinho, e como a gente não podia ir pra rua, esta imposição nos permitiu aproveitar deste tempo juntos da maneira mais simples possível, sem artefatos e por uma excelente razão.


Leia também: Tudo é temporário, DESAPEGUE-SE!


Na correria do dia a dia mesmo quando a gente não tem nada pra fazer, sempre encontra alguma coisa. Por exemplo, fim de semana, depois de cumprir com todas as obrigações às vezes dá aquela vontade de se jogar no sofá e não fazer nada, mas a gente não consegue. Tem que sair, levar os filhos pra passear, visitar a família e por aí vai.... Aí vem o coronavírus e diz pra gente assim: “Você NÃO pode sair para NADA. Apenas para o que for MUITO urgente e necessário. Pronto, a justificativa para ficar em casa é mais do que justa.


Por isso não escrevi. Estava em casa. Confinada com os meus. E curti cada minuto. Foi um tempo utilizado para muita reflexão. Descobri coisas sobre as minhas filhas que eu não sabia. Nos aproximamos. Houve momentos difíceis em que queria sair correndo de casa e fugir de todo mundo, mas ainda assim foi mágico, foi gratificante. Apesar da circunstância dolorosa deste confinamento, sou grata pelo tempo livre que tive com a minha família. Nos redescobrimos, é isso!


“Eu vou parar de dizer como minha vida é estressante, e dizer que sou abençoado por tudo o que tenho. Reclamar nunca vai mudar a minha realidade, mas ter uma atitude positiva sim”

Autor desconhecido


Uma das minhas funções no trabalho é preparar o clipping de notícias diariamente. E dia após dia, ao realizar minha tarefa, eu me assustava com as notícias do mundo. Não apenas com o aumento significativo e muito rápido de contaminações, mas também (e sobretudo) com a maneira com que algumas pessoas estavam lidando com a pandemia. Não falo de governos, falo de pessoas mesmo. Brigas nos supermercados (quem não viu o vídeo da briga pelo papel higiênico?), desentendimentos nas farmácias, intolerância, e por aí vai... e nem era guerra, não faltou comida, já imaginaram se fosse? O mundo não está preparado. Somos muito egoístas.

Leia também: A importância do motor motivacional na vida dos expatriados


Aí vem a reflexão... Estou satisfeita com as sementes que ando plantando por aí? Será que posso melhorar? Foi um entendimento diferente e muito difícil de colocar em prática, mas quando a gente realmente acredita que este é o caminho, conseguimos! Não podemos mudar o mundo, mas podemos escolher o ambiente em que queremos evoluir. Podemos controlar a nossa língua de modo a não usar a nossa mente de maneira negativa. Podemos parar de alimentar discursos de ódio e/ou preconceito na internet, e usar nosso tempo nas redes sociais para abraçar quem precisa, ser reconforto, e até mesmo ajudar o outro. Descobri que posso (e devo) usar meu tempo livre de maneira positiva. Li sobre física quântica e lei da atração. Me amarrei de verdade. Aprendi a meditar e adorei o resultado. Estou numa vibe muito positiva, e isto só faz bem! (Se quiser indicação de livros, pode pedir, :) ).

“…pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca…”

Mateus 12:34


Aqui na Suíça estamos saindo do confinamento. Vida voltando ao normal... para aonde estamos indo eu não sei, mas hoje sei exatamente aonde quero chegar e o que quero para minha vida. Boas energias, gente feliz, que chora, sofre, mas ainda assim é grato por estar aqui. Gente que persiste e não desiste. Gente que é sincera, leal e DE VERDADE. Gente que é grata por não ter entrado nas estatísticas da pandemia, apesar das dificuldades passadas no confinamento. Gente que pensa no outro. Gente que emana AMOR. A vida é sim muito curta. Hoje estamos aqui, amanhã não sabemos, porque não usufruir deste presente maravilhoso que Deus nos deu, que é a vida, de maneira positiva? Eu fiz a minha escolha, e você, já fez a sua?


Bjs, Cris!

Venha fazer parte da nossa família!! CLIQUE AQUI!


  • Facebook Diário de uma Expatwoman
  • Instagram Diário de uma ExpatWoman

© 2019 por Diário de uma ExpatWoman. Todos os direitos reservados.