banner-topo-01.png

Construa sua própria felicidade, parte II: Gestão de mim!

A vida no exterior nos cobra muito. Muito mais do que quando moramos no nosso país de origem. Temos mais a provar. Temos que provar diariamente que somos tão capazes e competentes quanto os que já residem no nosso novo país, e aos que ficaram no país de origem temos que provar que fizemos a escolha certa. Enfim, achamos que temos que provar alguma coisa para alguém, mas na realidade não somos obrigadas a nada! Saber disso é uma coisa, mas viver isso verdadeiramente é bem diferente.

Em 2014, após o falecimento da minha mãe, eu perdi meu norte. Tudo se misturou e se bagunçou na minha cabeça. Não estava feliz e tampouco sabia como mudar a situação. Eu reclamava, eu chorava, mas não fazia nada para que as coisas mudassem. Foi aí que o programa “Gestão de Mim” e a Cláudia Villela - @claudiaeduca - entraram em minha vida. Eu decidi que queria entender mais sobre aquela dor, queria entender mais sobre aqueles sentimentos ruins que estavam me impedindo de avançar. Eu havia finalmente encontrado através da minha dor, motivos para que eu continuasse a buscar a minha paz interior. E foi exatamente o que eu fiz!


Leia também: A vida no exterior e as despedidas definitivas: O dia que disse adeus à minha mãe.


“Só sei que nada sei, e o fato de saber isso, me coloca em vantagem sobre aqueles que acham que sabem alguma coisa. Sócrates”


Hoje em dia vivemos uma enorme pressão para ter que dar conta de tudo, como se o fato de não dar conta de tudo nos fizesse “incompetentes”, ou “inferior aos outros”. Inconscientemente vivemos em concorrência com todo mundo. A mentoria Gestão de Mim, me mostrou quase que de forma matemática, que NÃO, não devemos dar conta de tudo! E além de me mostrar isso me permitiu ser feliz do meu jeito, com todas as minhas imperfeições. Aprendi a me aceitar sem cobranças. Se não deu, não deu, tudo bem! Se eu te decepcionei, sinto muito, mas tudo bem também; afinal não sou perfeita mesmo. Se eu não atendo suas expectativas, tá tudo bem, pois quem mesmo criou expectativas ao meu respeito? E quem mandou criar?


A Cláudia me dizia assim: “larga o chicote Cristina”, e esta frase fez muito sentido pra mim, porque me dei conta de que era eu mesma quem mais me fazia cobranças. Acho que ser exigente com a gente mesmo, é fundamental, para progredir. Temos que ter disciplina e sempre buscar o melhor resultado, massss, também temos que aprender a largar o chicote, soltar a mão das situações e pessoas que não merecem sua atenção. Largar o chicote, para mim, significa: pense mais em você do que nos outros, deixa de ser boba e querer resolver os problemas de todo mundo, pois você não tem tempo pra dar conta de tudo. PRIORIZE! Deixe ir tudo aquilo que te faz mal. VALORIZE-SE!

Leia também: Construa sua própria felicidade: O poder está em suas mãos ! Parte I


Aí você deve estar se perguntando, uai, então o segredo é ser egoísta e só pensar em mim? Absolutamente NÃO! Ajude as pessoas quando tiver certeza de que esta ajuda não vai te atrapalhar. Tenha empatia pelas pessoas que você acha que merecem empatia, não pense que TEMOS QUE SER EMPÁTICOS E AGIR com todo mundo, não temos nada. O grande aprendizado é lidar com o que temos pra hoje. E a vida não é perfeita, como se vê na maioria das redes sociais. Aqui é vida real que fala, né gente?


Saber com quem e com o quê usar seu tempo, suas palavras, sua energia, é fundamental se você pretende construir sua própria felicidade. Aquele que conhece bem a si mesmo, saberá identifi