banner-topo-01.png

Como vivem as famílias Suíças?

(É importante lembrar que nem todos os Suíços vivem da mesma forma, e que além de me basear nos hábitos culturais, também me baseei em experiências vividas por mim. Não se trata de uma generalização)


Há muitos anos, pouco tempo após a minha chegada aqui em Genebra, ouvi uma frase que muito me marcou: “Os Suíços não colecionam bens materiais, eles colecionam carimbos no passaporte”. Esta frase me marcou tanto que eu nunca esqueci. E é verdade gente. A maioria dos Suíços não se preocupam em ter o carro mais caro e luxuoso, a bolsa de marca, o telefone do ano, ou a festa de aniversário mais bonita. As famílias Suíças têm hábitos simples. Elas adoram por exemplo passar tempo ao ar livre, mesmo no inverno. Aliás um dos lazeres favoritos aqui são as trilhas em família, que existem em diferentes níveis de dificuldade para que as crianças possam participar do passeio desde bem pequenininhas. Como o inverno é muito longo e gelado, os Suíços lidam numa boa com o frio. Para eles frio não é impedimento para nada. Já para mim... Tenho muita dificuldade de sair para passear ao ar livre quando a temperatura está 0ºC. Não gosto de sentir frio e não me acostumo, sem esquecer da chatice que é ter que colocar 1001 roupas e acessórios para “aguentar”.


Qualidade de vida

O que têm realmente valor para os Suíços é a qualidade de vida. Além de darem grande importância as atividades físicas, também gastam sem contar quando o assunto é alimentação.

Meu marido, o Stéphane, tem uma tia de 69 anos que todos os domingos faz uma trilha em uma montanha na França vizinha chamada Salève. São entre 5 e 8 horas de caminhada, sendo 3 horas de subida. Ela faz isso há mais de 10 anos. E porquê? Porque aqui as pessoas têm consciência dos benefícios que a atividade física traz ao corpo, e então praticam. É muito comum. Agora vejam bem, eu com 40 anos não consigo fazer a mesma trilha. Este é um hábito que eu adoraria ter, mas infelizmente (ainda) não tenho.


Petiscos de Legumes

Em relação à alimentação, mesma coisa. Há uma grande preferência e valorização pelos produtos locais. Inclusive eu aprendi a comer vários legumes aqui, pois ser convidado para almoçar/jantar na casa de Suíços, resulta em comer muitos legumes na entrada, no prato principal e se bobear até na sobremesa! *risos*. Eu que era “a fresca” com legumes melhorei bastante, mas ainda estou longe de ficar como eles. Até as crianças comem super bem. Não é raro nas festas de aniversário que a Laís vai, o lanche ser mexericas, bananas, morangos, ou então legumes crus como pepino, cenoura e etc.... Refrigerante então é raríssimo. O único doce é o bolo do aniversariante e as lembrancinhas. As crianças convivem muito bem com isso, pois é um hábito. Elas comem, repetem e adoram de verdade. As minhas filhas têm certa dificuldade com isso por causa da mãe (no caso eu mesma) que não colabora muito. Como este não era um hábito que eu carregava comigo, eu ficava espantadíssima nos aniversários e ainda reclamava com o marido que as festas eram sem graça. Tentei nos primeiros aniversários da Gabi servir coxinha, empadinha e brigadeiro. Resultado: ninguém comeu. As crianças olhavam espantosamente para os brigadeiros e por mais que eu dissesse que “aquilo” era de chocolate, elas provavam e não gostavam. O que aconteceu? Tive que me render as mexericas e pepinos.... hehehehehe.


As crianças são criadas para serem independentes e respeitarem as regras

Diferentemente de nós, latinos, que somos muito protetores com os nossos filhos, aqui os pais criam as crianças para serem independentes o mais rápido possível. Lembro quando recebi a carta para inscrever a Gabi na escola, vieram algumas recomendações:


* É necessário que a criança saiba dar laço nos sapatos

* Vestir e tirar o casaco sozinha

* Ir ao banheiro também de maneira autônoma.